PROJETOS DE PESQUISA

Produtividade em Pesquisa - CNPq

Projeto: Elisa Branco: uma vida em vermelho

Elisa Branco Batista foi militante do Partido Comunista do Brasil desde 1945, atuando ativamente nas tarefas partidárias, em particular nas organizações femininas e nas campanhas pela paz. Em 1950 ela recebeu a arriscada tarefa de, durante desfile militar do 7 de setembro, no Vale do Anhagabaú, em São Paulo, abrir enorme faixa com os dizeres: “Os soldados nossos filhos não irão para a Coréia”. Presa pela polícia, ela foi condenada pela Lei de Segurança Nacional a mais de quatro anos de detenção. Os comunistas patrocinaram ampla campanha por sua libertação. Elisa tornou-se figura enaltecida no movimento comunista, sobretudo nas Campanhas pela Paz. Após cumprir parte da pena, em 1952 ela ganhou o Prêmio Stalin da Paz, honraria dedicada a artistas, intelectuais e políticos de renome internacional. Elisa Branco é citada, sempre de maneira superficial em memórias de militantes, e sua atuação política ainda não mereceu estudo mais aprofundado. Este é o propósito central do projeto de pesquisa

 

Coordenador: Jorge Ferreira

 

Início: 2019

Instituição sede: Universidade Federal Fluminense

Instituições financiadoras: CNPq

Projeto: "Eu vou para ver a Charanga do Jayme tocar": A Charanga do Flamengo e a organização da torcida de futebol como agente coletivo.

Descrição: A historiografia sobre o esporte no Rio de Janeiro já se debruçou sobre as configurações elitistas das primeiras instituições esportivas do Rio de Janeiro. Nascidas sob o signo da modernidade excludente da Primeira República, os clubes de futebol da cidade preservaram por décadas o perfil restritivo dos seus assistentes, reforçando o caráter de espectador burguês que não intervia no andamento das partidas dos adeptos que frequentavam os espaços de sociabilidade esportiva. Esse cenário esportivo dominado pelo espectador assistente foi alterado de forma decisiva nos anos 1930, quando a profissionalização dos clubes e o surgimento da crônica esportiva alinharam-se aos projetos de modernização nacional-estatista e promoveram uma intensa (re)significação do papel social do torcedor, que a partir das diretrizes das novas relações entre Estado e Sociedade passaram a enfatizar o protagonismo do torcedor popular na realização do espetáculo esportivo. O objetivo desta pesquisa é analisar o surgimento da Torcida Organizada por Jayme de Carvalho em 1942 - que logo foi batizada por Ari Barroso como "Charanga", pelo tom desafinado das suas execuções musicais - associando as ações de organização do coletivo feitas por Jayme de Carvalho com o projeto de organização e tutela das classes trabalhadoras que norteava os símbolos de Nação presentes no projeto nacional-estatista gestado nos governos Vargas nos anos 1930-1945. 
 

Coordenador: Renato Soares Coutinho

Livia Magalhães: projetos em andamento

2018 - Atual

Feminismo e História no Brasil: debates, disputas e projetos

Descrição: Este projeto propõe como objeto de reflexão as diversas abordagens historiográficas sobre o feminismo no Brasil republicano. Tradicionalmente, divide-se o movimento feminista em ?ondas?: a primeira, mais conhecida como sufragista, tem como recorte cronológico o final do século XIX até as primeiras décadas do século XX, com conquistas políticas e relativas à vida pública (principalmente o direito ao voto); a segunda, a partir do final da década de 1960, foi mais marcada por lutas de liberação sexual e por igualdade no mercado de trabalho; a terceira onda, ao final da década de 1980, está vinculada ao neoliberalismo e a micropolítica, e no caso de alguns países, como o Brasil, também à redemocratização; finalmente, a quarta onda pode ser contextualizada a partir da década de 2010, no contexto das novas tecnologias com a Internet e a proliferação de redes sociais virtuais. Esta divisão é marcada por questionamentos e problemáticas: em primeiro lugar, parte de uma referência eurocentrista. Além disso, desconsidera a pluralidade de movimentos dentro do que se considera ?feminismo?. Hoje, vivemos uma pluralidade de vertentes e debates sobre o feminismo, em coletivos, partidos políticos, etc. A proposta deste projeto é relacionar tais ações com o campo acadêmico e fazer um levantamento bibliográfico, a partir do qual derivaremos para um debate em torno da historiografia sobre o tema, recuperando uma trajetória de análise e estudos muitas vezes esquecida nos debates cotidianos..

Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.

Alunos envolvidos: Graduação: (4) .

 

Integrantes: Lívia Gonçalves Magalhães - Coordenador / Nathália Silvério da Cunha - Integrante / Bruna Lopes Melo da Silva - Integrante / Luiza Ferreira de Moraes - Integrante / Marianna de Albuquerque Silva Cunha - Integrante.

2018 - Atual

Desigualdades globais e sociais em perspectiva temporal e espacial

Descrição: O projeto de pesquisa colaborativa, intitulado Desigualdades globais e sociais em perspectiva temporal e espacial, analisa a formação e a reprodução das desigualdades globais na longa duração (da Antiguidade ao capitalismo contemporâneo) e em diferentes escalas (indo e voltando do global ao local). Ao passo que a maioria das pesquisas empíricas contemporâneas sobre desigualdade se concentra nos campos da economia e da sociologia, focando no problema da disparidade de renda dentro de determinado país, o presente projeto define desigualdade como um fenômeno multidimensional, internacionalmente combinado e cumulativo. A desigualdade assim definida situa-se no plano dos direitos políticos e sociais, da repartição de poder e de riqueza, das formas de reconhecimento e do acesso a bens e recursos, sejam materiais ou simbólicos. Dessa forma, possui não apenas aspectos quantificáveis (diferenças de grau), senão também componentes qualitativas, simbólicas e fortemente classificadoras, como gênero e etnicidade. O projeto parte da distinção entre diferenças de grau (?desigualdade? em stricto sensu) e diferenças de natureza ou gênero (que podemos considerar como diferenças stricto sensu o como alteridade, o que dificulta a sua quantificação). Embora diferença e desigualdade se justaponham, desigualdade pode criar e acentuar a diferença, mas as diferenças não são necessariamente geradoras de desigualdades. O projeto prevê a criação de uma rede interdisciplinar e internacional de pesquisadores e instituições para abordar o problema na sua complexidade. Na sua fase inicial, a rede reúne, de um lado, pesquisadores dos Institutos de Geografia, História e Letras da Universidade Federal Fluminense (UFF) e, de outro, um significativo conjunto de instituições estrangeiras dotadas de larga experiência em parcerias individuais e coletivas (pós-doutorados; missões de trabalho; coautorias; etc.). Liderando a construção dessa rede, que conta com acadêmicos do Brasil, Estados Unidos, Argentina, França, Espanha, Alemanha, Grã-Bretanha e México nos campos antes mencionados. Este projeto possui dois objetivos amplos, especificados no item a seguir (objetivos): a formulação de uma sólida teoria empiricamente fundamentada no grande campo das ciências sociais sobre desigualdades globais que possa informar políticas públicas nacionais e ações de órgãos internacionais multilaterais destinadas a atacar o problema; e a consolidação de uma rede internacional de trabalho colaborativo acadêmico..

Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.

 

Integrantes: Lívia Gonçalves Magalhães - Integrante / Norberto Osvaldo Ferreras - Coordenador.

Financiador(es): Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior - Outra.

2018 - Atual

Violência, história e contemporaneidade: pensar o século XX

Descrição: Este projeto, contemplado pelo Edital Universal 28/2018 do CNPq, propõe lançar olhares plurais sobre o passado recente em busca de melhor compreender os múltiplos processos de violência, também eles plurais, que marcaram a experiência histórica do século XX. Para tanto, toma como referência as reflexões que vêm sendo desenvolvidas pelos pesquisadores do Núcleo de Estudos Contemporâneos (NEC) da UFF ao longo das últimas duas décadas e as perspectivas de estender os diálogos nacional e internacional..

Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.

Integrantes: Lívia Gonçalves Magalhães - Integrante / Janaína Martins Cordeiro - Coordenador.

Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Auxílio financeiro.

Karla Carloni: projetos em andamento

2019 - Atual

Jovem Cientista do Nosso Estado - FAPERJ. DANÇAR JAZZ NO RIO DE JANEIRO DURANTE A DÉCADA DE 1920: GÊNERO, TRANSGRESSÃO E MODERNIDADE

Descrição: O objetivo principal do projeto é analisar como durante a década de 1920, momento de intensas transformações e conflitos nas relações entre os gêneros, as danças sociais originalmente norte-americanas, destacadamente o jazz, estiveram relacionadas com as mudanças de comportamento de mulheres pertencentes aos estratos médios da cidade do Rio de Janeiro. Dialogando principalmente com História Cultural da Dança, a Antropologia da Dança, os Estudos Culturais e os Estudos da Dança o projeto parte do princípio de que o corpo e os seus movimentos integram e dialogam com o contexto histórico no qual estão inseridos e carregam em si múltiplos significados. Por sua vez, são capazes de produzir modificações culturais e sociais de diferentes ordens, como nas relações entre os sexos. As principais fontes de pesquisa são revistas ilustradas cariocas de grande circulação na época. As publicações percorriam a cidade contendo discursos a respeito do que deveria ser ou não a mulher moderna. Possuem registros dos corpos femininos e de seus novos movimentos nos espaços da cidade dedicados a dança. Anedotas, artigos, piadas, poesias, charges, caricaturas, desenhos e cartas dos leitores indicam transformações das jovens que tomavam o espaço público e percorriam os salões e os dancings buscando libertar-se de antigas restrições e padrões de comportamento. A hipótese central é a de que as danças executadas ao som do jazz e suas variações, ao serem apropriadas por mulheres pertencentes aos estratos médios da sociedade carioca, proporcionaram um novo léxico corporal que se relacionava com o momento de transgressão de antigos papéis sociais femininos. Assim, gradualmente novos corpos e comportamentos foram construídos.

Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.

Integrantes: Karla Guilherme Carloni - Coordenador.

Financiador(es): Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do RJ - Bolsa.

Laura Maciel: projetos em andamento

2019 - Atual

Pequena imprensa carioca: jornalismo e redes de comunicação popular no Rio de Janeiro (1870-1920)

Descrição: Esta investigação procura reconhecer um conjunto significativo de pequenos jornais e revistas editados por associações, clubes e grêmios diversos editados no Rio de Janeiro, entre meados do século XIX e as duas primeiras décadas do século XX, que tem em comum um perfil editorial a margem dos ditames comerciais ou empresariais. As coleções, em geral, são formadas por um pequeno número de exemplares, com periodicidade irregular e tiragens reduzidas, mas fundamentais para a articulação de grupos e demandas sociais variadas na cidade e, por isso, registram inúmeras temáticas urbanas daquele período histórico. Em contraste com a significativa proliferação desse tipo de imprensa a partir da segunda metade do século XIX constatamos a precariedade das referências sobre eles que ainda demandam reconhecimento e indexação. Assim, o objetivo último do projeto é reconhecer e indexar essas coleções para disponibilizar as informações produzidas sobre elas de modo a torná-las mais acessíveis aos pesquisadores e contribuir para a preservação da memória da imprensa popular carioca..

Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.

 

Integrantes: Laura Antunes Maciel - Coordenador / Leandro Clímaco Mendonça - Integrante / Luciana Penna Franca - Integrante.

Financiador(es): Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do RJ - Auxílio financeiro.

2017 - Atual

"Liberdade de imprensa" no Brasil: entre a criminalização da opinião e o direito à comunicação

Descrição: Este projeto investiga o percurso histórico de proposição de leis de imprensa no Brasil problematizando os limites criados ao exercício do direito à comunicação e a livre expressão pela aplicação dessas leis em distintas conjunturas sociais. Também propõe o diálogo com os sentidos das lutas e movimentos sociais pela democratização da comunicação no Brasil nas últimas décadas..

Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.

 

Integrantes: Laura Antunes Maciel - Coordenador.

2009 - Atual

Catálogo da imprensa popular produzida no Rio de Janeiro, 1870-1920

Descrição: Esta proposta de elaboração de um Catálogo da imprensa popular carioca visa contribuir para a ampliação do reconhecimento da memória da imprensa brasileira, através do inventário de experiências populares com imprensa na cidade do Rio de Janeiro e a produção e disponibilização de referências documentais sobre elas. Pretende não só dar visibilidade a uma diversidade de iniciativas e modos particulares de fazer imprensa, pouco valorizadas e reconhecidas, como estimular iniciativas para sua preservação e a democratização do acesso a parte significativa do passado da cidade do Rio de Janeiro no período analisado..

Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.

Alunos envolvidos: Doutorado: (2) .

 

Integrantes: Laura Antunes Maciel - Coordenador / Pedro Henrique Belchior Rodrigues - Integrante / leandro Clímaco Mendonça - Integrante.

 

Número de produções C, T & A: 4

2008 - Atual

Imprensa popular e memória: Rio de Janeiro, 1870-1920.

Descrição: Este projeto de pesquisa propõe refletir sobre a ampliação e diversificação da imprensa operária ou militante, bem como sobre sua transformação, a partir das duas décadas finais do século XIX, quando outras lutas sociais se afirmam no Rio de Janeiro por meio de publicações periódicas. Enfatizando especialmente o mapeamento de periódicos que se assumem como populares e que remetam aos modos de viver e às práticas culturais dos trabalhadores urbanos em sua diversidade (étnica, nacional ou regional, em ofícios ou atividades profissionais) e de grupos populares em movimentos e organizações sociais e culturais, a investigação procura conhecer e preservar outras dimensões da memória social brasileira..

Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.

Alunos envolvidos: Graduação: (1) / Doutorado: (1) .

 

Integrantes: Laura Antunes Maciel - Coordenador / Leandro Clímaco Mendonça - Integrante / Leandro Senhorinho Antunes - Integrante.

Financiador(es): Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - Bolsa.

Número de produções C, T & A: 6 / Número de orientações: 3